Assim como ocorre em outras áreas, os exames laboratoriais são imprescindíveis para que o odontologista compreenda as reais necessidades de um paciente e identifique os tratamentos mais adequados com base nas informações coletadas.

Isso ocorre porque muitas condições de saúde podem comprometer o andamento de um tratamento, demandando mais cautela nas etapas de pré e pós-operatório, por exemplo.

Na prática, são considerados exames laboratoriais quaisquer procedimentos complementares de análise, sendo que os mais comuns consistem na coleta de sangue, urina e radiografias. Ou seja, exames bioquímicos e de imagem.

Assim, de modo a otimizar os diagnósticos e tratamentos, desde 2010 os cirurgiões-dentistas podem solicitar análises complementares e internações, desde que identifique na solicitação os riscos envolvidos e que o pedido esteja de acordo com sua área de atuação.

O universo da odontologia está em constante transformação ao longo dos últimos anos. Influenciadas pelo avanço de pesquisas no campo da inovação, hoje, os dentistas contam com a possibilidade de oferecer tratamentos mais rápidos, precisos e que disponibilizam maior conforto para você, paciente, na hora de cuidar de seu sorriso.

Dentro destas mudanças, a ortodontia, especialidade que cuida do alinhamento dos dentes e dos ossos maxilares, tem passado por uma verdadeira revolução que agiliza os processos de documentação ortodôntica e oferece maiores possibilidades quando o assunto é o desenvolvimento de aparelhos ainda mais precisos e discretos para os pacientes.

Estamos falando da Ortodontia Digital. Você conhece esta nova tendência do setor odontológico? Sabe quais são suas vantagens? Continue acompanhando nosso post e esclareça suas dúvidas.

A saúde bucal é um fator muito importante para manter a saúde e o bem-estar, mas para cuidar dos dentes é imprescindível ter um diagnóstico claro e preciso, para isso diversos exames e tratamento odontológicos podem ser indicados, inclusive a necessidade de radiografias.

Isso ocorre porque alguns diagnósticos não podem ser dados apenas em um exame clínico, pois é intra-ósseo. Além disso, um bom profissional entende que os dentes são muito mais do que se vê.

É nesse momento que entendemos a importância da radiografia para a odontologia. 

Em procedimentos de extração de dente, por exemplo, a radiografia auxilia na identificação da posição da raiz do dente e se o nervo pode ou não interferir no processo. Assim, o dentista não terá imprevistos durante a cirurgia.

Existem diversas cirurgias odontológicas. Elas são realizadas pelo cirurgião-dentista na cavidade bucal. Elas são indicadas por profissionais por meio de diagnósticos, com objetivo de reabilitar a saúde bucal dos pacientes ou mesmo prevenir pioras nesse quesito.

Neste post, vamos apresentar algumas principais cirurgias odontológicas. Dessa maneira, falaremos sobre a cirurgia ortognática, enxertos ósseos para implantes dentários, cirurgias odontológicas gengivais, remoção de cistos e cirurgia oral menor.

Imagem 1️⃣ - 𝗔𝗯𝘀𝗰𝗲𝘀𝘀𝗼 𝗲𝗻𝘁𝗿𝗲 𝟮𝟱 𝗲 𝟮𝟲 𝗻𝗮̃𝗼 𝘃𝗶𝘀𝘁𝗼 𝗻𝗮 𝗥𝗮𝗱𝗶𝗼𝗴𝗿𝗮𝗳𝗶𝗮 𝗣𝗲𝗿𝗶𝗮𝗽𝗶𝗰𝗮𝗹 Imagem 2️⃣...

A radiografia panorâmica proporciona uma avaliação global, fornece informações morfológicas e a cronologia de desenvolvimento dos dentes decíduos e permanentes em uma única tomada radiográfica.

É um exame suplementar ao diagnóstico clínico para estudar as variações das estruturas dentomaxilares e as afecções patológicas dos tecidos moles e duros.

Essa técnica apresenta limitações em relação à observação de detalhes; nesses casos, há necessidade de complementação por meio de outras técnicas radiográficas ou de imagens.

As fraturas dentais podem ocorrer por diversos motivos, em qualquer idade e ocasionar diferentes tipos de lesão, dependendo da sua intensidade. Entre os tipos de fraturas dentais mais recorrentes estão as que afetam somente o esmalte, as que expõem a dentina e as que deixam a polpa à mostra. No post de hoje, vamos falar sobre como prevenir as fraturas dentais.

Fraturas que envolvem o esmalte dentário acontecem com bastante frequência em crianças e adolescentes, em quedas durante as brincadeiras ou em jogos coletivos. Elas não apresentam sintomas, apenas o desalinhamento e as bordas irregulares e podem ser restauradas sem complexidade — em muitos casos, mais por aspecto estético do que funcional.

Com a exposição da dentina, o processo é semelhante: a diferença está nos sintomas. A situação ocasiona mais sensibilidade, principalmente aos alimentos gelados. A restauração pode ser feita com resina composta ou, dependendo de sua extensão, uma coroa pode cobrir a dentina exposta.