Disciplina, organização e conhecimento. São três pontos chaves para Odontopediatras que realizam atendimentos sozinhos.

Quando sua secretária avisa que a mãe de uma criança ligou, a primeira reação é a taquicardia. Quando a mãe cita que o filho se acidentou e conta como ele bateu a boca, as mãos do dentista já começam a suar.

Outubro, mês no qual as crianças são homenageadas, e foi pensando nisso que resolvemos abordar um pouco as radiografias na Odontopediatria. Este tema é muito interessante e geralmente gera muitas dúvidas, como por exemplo: “pode fazer radiografia odontológica em crianças?”, “é perigoso?”, “qual a quantidade de exames indicada?”, dentre outras questões.

Todos nós sabemos da importância dos exames radiográficos no processo do diagnóstico na Odontologia, certo? É sempre bom lembrar que a radiologia não é adivinhação e sim interpretação. É o resultado da ciência, estudo, técnica, treino, capacidade de cognição, de interpretação e da experiência do profissional. Por ser uma radiação ionizante ela gera efeitos biológicos no nosso organismo que, devem ser entendidos, respeitados e minimizados, não colocando em risco a nossa vida.

Provavelmente, você já ouviu dizer que é necessário fazer tomografia para analisar regiões do corpo, como o crânio e o tórax. Mas sabia que esse procedimento também pode ser utilizado para a odontologia? Trata-se da tomografia para implante dentário.

Essa tecnologia serve, dentre outras razões, para averiguar os dentes e, principalmente, viabilizar o procedimento de implante dentário. É fundamental para realizar tanto simulações para o pré-cirúrgico, assim como para identificar a realidade da estrutura óssea presente.

Quer saber mais detalhes sobre esse assunto? Leia este conteúdo e conheça o que é tomografia, em termos técnicos, e quais são as vantagens dessa tecnologia para a implantodontia. Confira!

Quando se fala na tecnologia de diagnósticos na Medicina e Odontologia, é necessário incluir o padrão DICOM. Ele proporcionou inovação nas imagens e informações digitais de exames ao padronizar esses arquivos, agilizando sua emissão, armazenamento e comunicação entre equipamentos.

O formato otimizou a rotina de clínicas e de profissionais de saúde, além de trazer mais qualidade para os exames e segurança para os pacientes.

Quer conhecer mais sobre o padrão DICOM? Então continue a leitura e fique por dentro de 3 pontos sobre esse formato eletrônico!

Nos primeiros anos de faculdade, as vestimentas para dentista seguem um código restrito: tudo branco. Jaleco, sapatos, camisas e até cintos devem ser da cor. A justificativa é a higiene, afinal fica mais fácil perceber se há alguma sujidade. Mas depois de formado, essa suposta obrigação não é tão obrigatória como parecia.

Independentemente do seu estilo, é importante enxergar as roupas de trabalho como um uniforme. Portanto, elas precisam passar profissionalismo. Se você está no início de carreira e quer saber como se apresentar aos pacientes, este é o seu post. Continue a leitura e entenda mais sobre vestimentas para dentistas!

A odontologia para pessoas com necessidades especiais surge para atender a esse público da forma mais conveniente e permitir que tenham acesso ao melhor atendimento possível por parte dos profissionais de odontologia.

Para pessoas com necessidades especiais, o mais indicado é uma abordagem diferenciada nos tratamentos odontológicos.

Isso é importante para o manejo correto dos casos, de acordo com a técnica odontológica e o conhecimento das doenças, ou das condicionantes de saúde, apresentadas pelo paciente.

Vale lembrar que alguns grupos de pessoas com necessidades especiais podem ser mais suscetíveis a doenças bucais, que são causados por diferentes motivos, desde dificuldades motoras para realizar a higiene oral, até doenças que comprometam o sistema imunológico, facilitando o aparecimento de doenças oportunistas na cavidade oral.

Então, acompanhe este conteúdo até o fim para eliminar suas principais dúvidas sobre atendimento de odontologia para pessoas com necessidades especiais.

Para os dentistas, saber como fazer um diagnóstico radiográfico de cáries é algo bem necessário. Afinal, essa é uma das doenças mais comuns e uma das principais queixas realizadas no consultório odontológico.

A radiografia é uma das principais formas de diagnosticar cáries, principalmente quando elas ainda são precoces e pouco aparentes. Vale lembrar que, quanto antes o problema for diagnosticado, mais fácil é o tratamento para o paciente.

Continue a leitura para saber mais sobre o diagnóstico radiográfico de cáries e como realizá-lo, passo a passo.

Em um cenário cada vez mais tecnológico e digital, a Radiograf - Radiologia Digital e Tomografia Cone Beam se consolida como parceira do cirurgião-dentista na realização de exames odontológicos, com tecnologias atuais e acessíveis, sendo referência em radiologia, diagnóstico por imagem e planejamentos digitais.

Incorporando equipamentos e softwares modernos e atualizados, a odontologia digital faz parte da nossa rotina e está a sua disposição e de seu paciente. Os exames digitais ampliaram a qualidade das imagens, facilitando o diagnóstico e o acesso a elas. Os exames digitais podem incluir desde radiografias periapicais, interproximais, panorâmicas a exames como tomografias, documentação ortodôntica digital, escaneamento intraoral e planejamento digital. Todos estes exames podem ser enviados digitalmente via e-mail, impressos ou acessados diretamente no nosso site, conforme preferência do profissional solicitante.